Um conto real de fadas

Conheci Maria e João.

Ao contrario da história que adormece em algum canto da nossa infantil memória, não segui um rastro de migalhas de pão. Para conhecer João e Maria é preciso seguir apenas o escutar do coração.

A casa de Maria e João não é feita de paredes de doces e telhado de biscoitos. São feitas das madeiras de seu quintal, e pintadas com flores azuis e borboletas rosas e amarelas pelas mãos de Maria. Sob o olhar doce de João.

Não existem bruxas famintas querendo fazer bom proveito de João e Maria.

Pois na vida de Maria e João a bondade é reinante, e não há espaço para algo mal e humano. Pois as almas puras de João e Maria são protegidas pela força superior da floresta.

João e Maria caminharam passos curtos numa estrada larga até chegarem onde estão. Nasceram nordeste, cresceram sulistas, descansam norte. Maria e João foram várias vezes de onde estão. Mas por alguma razão que só talvez a sutileza das sombras da mãe amazônica possa entender, João e Maria sempre voltaram. Sem seguir migalhas de pão. Pois para buscar seu destino não é preciso rastros, bastar seguir sua alma. Com calma. Como fizeram Maria e João.